Jovem que é visto voando sobre Unesp durante furacão tenta conseguir abono de falta

FRANCA  – As fortes chuvas e ventos que atingiram Franca pela manhã pegaram os francanos de surpresa e geraram muitos pontos de alagamento e quedas de árvores. Contudo, nada foi tão impressionante quanto a imagem de um aluno de História da Unesp sobrevoando o campus durante a passagem de um pequeno furacão.

Jefferson Belchior Pedigone, artesão, estava a caminho da biblioteca quando foi surpreendido com a rajada de vento de 380 km/h e saiu voando. Já em solo, Jefferson aguarda na reitoria a possibilidade de abonar a falta que teve durante o episódio. Segundo a reitoria, a falta não deverá ser desconsiderada pois o jovem, apesar de estar a 130 metros de altura, estava nas dependências do campus e em perfeito estado de saúde, o que não justifica o abono.

54 comentários em “Jovem que é visto voando sobre Unesp durante furacão tenta conseguir abono de falta

Adicione o seu

    1. SOBRE O ESTAGIÁRIO

      Personagem fictício (independente) que imita portais de “notícias” com humor e sátira. É só brincadeira, nada real. Se alguém se sentir ofendido, avise

      Curtido por 3 pessoas

  1. As bicicletas são só de enfeite, são chumbadas no chão. A árvore também. Tem pouco tempo que chegou energia elétrica lá. Essa foto foi tirada por um turista que estava fazendo safari.

    Curtir

  2. O conceito de 130 metros de altura ta difícil viu? Se subir 130 metros e ficar em perfeito estado de saúde eu dou um prêmio AHEHAUHEUA

    Curtir

  3. Como professor aposentado do Instituto de Artes da Unesp (1983-2011) com mestrado e doutorado na mesma instituição, posso declarar do alto de meu PhD que o estagiáriofrancano é digno de confiança. A única ressalva é que deveria ser eleita uma Comissão de Averiguação do Departamento pois esse fato pode não ter sido casual. Ele pode ter se aproveitado de amizades co alguém do Instituto de Pesquisas Meteorológicas da Unesp de Bauru e, sabedor das rajadas de vento, ter se posicionado para que o fato ocorresse, o que caracterizaria “dolo eventual”, causando indeferimento do pedido.

    Curtir

  4. Como professor aposentado do Instituto de Artes da Unesp (1983-2011) com mestrado e doutorado na mesma instituição, posso declarar do alto de meu PhD que o estagiáriofrancano é digno de confiança. A única ressalva é que deveria ser eleita uma Comissão de Averiguação do Departamento pois esse fato pode não ter sido casual. Ele pode ter se aproveitado de amizades co alguém do Instituto de Pesquisas Meteorológicas da Unesp de Bauru e, sabedor das rajadas de vento, ter se posicionado para que o fato ocorresse, o que caracterizaria “dolo eventual”, causando indeferimento do pedido.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Dr. Mário, quase comecei a acredita na minha própria notícia com seus argumentos. Vc está nomeado Arbitro na Câmara de Arbritagem e Mediação de Posts Polêmicos Unespianos na página do Estagiário da Franca. : )

      Curtir

  5. Se fosse verdade isso ele não ia resistir o impacto no chão isso é uma montagens a um vento desse arrancaria as arvores que esta na foto e aquelas bicicleta tinha decolado junto e os carros ia ser arrastados tinha devastado lugar .

    Curtir

  6. Acredito q deveria acreditar nesse caso que muitos não acreditam pq se trata de acreditar em algo extremamente acreditavel! Deixo aqui meu conselho: acreditem nesse estagiário pq ele não é e nem será desacreditado enquanto nos informar de notícias tão inacreditáveis!

    Curtir

  7. Supondo a realidade no caso, sobre estar no campus em “perfeito” estado de saúde e não receber o abono, se ele tivesse morrido o abono seria dado? Kkkk o defunto ia ta muito preocupado com faltas

    Curtido por 1 pessoa

  8. Essa galera falando da bicicleta sabe de nada!
    BICICLETAS TEM EXCELENTE AERODINÂMICA e não é tão afetada por ventos como nossos corpos.
    *durmam com essa

    Curtir

  9. Estudei nesta linda faculdade de 2005 a 2009 e o que mais me impressiona é o descaso com questões de segurança nacional na Unesp. Nos meus tempos, tenho certeza que o comando aeroespacial/acadêmico de ideal stalinista chamado Chapa Jesse valadão diagnosticaria o caso como aparecimento de ovni e abateria o jovem artesão e historiador com seus poderosos caças mig-29 comprados em segunda mão e sem licitação do Cazaquistão. A administração atual perdeu a chance de ter um caso Roswell legitimamente unespiano.

    Até quando, Unesp?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: